A quem o escritório virtual atende?

O conceito de escritório virtual parece significar, para quem não conhece, que ele não existe fisicamente, mas não é assim que funciona.

Profissionais liberais, prestadores de serviço e, eventualmente, até quem trabalhe em home office são o público principal de um escritório virtual, pois a pessoa ou empresa precisa ter um endereço fiscal e não quer ou não pode arcar com os custos de um escritório convencional, exclusivo. Assim, utilizando alguns dos serviços – são várias possibilidades -, é possível ter os benefícios de um espaço físico, sem os custos tradicionais.

A partir daí, houve uma evolução e surgiu o coworking, que costuma estar dentro do espaço físico do escritório virtual, em área específica, dando oportunidade a profissionais autônomos, startups, por exemplo, a interagir com outras pessoas, fazendo um networking interessante, em um ambiente propício à criação, à inspiração, colaborativo, favorecido pela troca entre os que utilizam o espaço.

Outra possibilidade dentro de um escritório virtual é a sala privativa. Neste caso, o empresário necessita de um espaço físico exclusivo constantemente e prefere ter a infraestrutura do escritório virtual, mas com um espaço específico e sem a responsabilidade que uma sala comercial exige.

Empreendedores são dinâmicos, ágeis, e transitam em várias searas. Normalmente, não conseguem arcar com os custos de uma sala comercial, ou preferem não o fazer, e optam por contratar, esporadicamente, uma sala de reunião, quando é preciso se reunir com o cliente e vários representantes da empresa, por exemplo.

Na verdade, o conceito de escritório virtual se expandiu, cresceu de acordo com a demanda e oferece várias possibilidades para quem precisa do espaço físico, mas de formas diversas, muito mais atual e moderna.